Relações internacionais

Notícia : Relações internacionais

PF pega 2 quilos de cocaína com queniano de 72 anos no aeroporto

A Polícia Federal prendeu no Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica) um passageiro queniano de 72 anos de idade tentando embarcar com droga oculta na mala, ao todo, 2 quilos de cocaína.A prisão ocorreu na quarta-feira, 23. Agentes da PF abordaram o homem para entrevista de rotina, na fila do check-in de voo com destino a Mali, na África.Segundo os policiais, o homem ?não deu respostas convincentes sobre os motivos de sua visita ao Brasil?. [Leia mais...] (webremix.info)


PF investiga 'bagagens extras' em voos para a África que saem de Cumbica

Polícia Federal e Polícia Civil, em ação conjunta, abriram na tarde de quinta-feira, 17, no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, a Operação Festas do Mar. O objetivo foi identificar irregularidades no embarque de bagagens em voo para a África, especialmente a inserção de volumes extras sem o devido registro.A ação tem a participação da Polícia Militar, da Anac, da Receita Federal, da Guarda Civil Metropolitana de Guarulhos e da GRU Airport. [Leia mais...] (webremix.info)


Na ONU, entidades denunciam 'risco' de exclusão de Lula das eleições

Vinte organizações não-governamentais brasileiras e estrangeiras usaram nesta quarta-feira, 14, o Conselho de Direitos Humanos da ONU para alertar sobre o "risco" de que o ex-presidente Luiz Inácio Lua da Silva seja excluído das próximas eleições no País, em outubro. O discurso foi feito em nome de entidades como Justiça Global, FIAN, Ação Franciscana de Ecologia, Confederação Internacional de Sindicatos de Trabalhadores, além de grupos da América Latina e África. [Leia mais...] (webremix.info)


Família de velejador preso em Cabo Verde realiza ato em Salvador


A família do velejador Rodrigo Dantas, preso em Cabo Verde, na África, por transportar mais de uma tonelada de cocaína, vai realizar um ato em apoio ao baiano na tarde desta sexta-feira, 26, às 15h, no Píer Salvador, na Ribeira. A manifestação pretende buscar o apoio da população e chamar atenção dos órgãos federais e da justiça brasileira. O ato vai contar com a presença do navegador internacional Júlio Esteves e da paratleta Monica Veloso. [Leia mais...] (webremix.info)


Esloveno é preso por tráfico de cocaína dentro de veleiro no mar de Paraty

A Polícia Federal prendeu na madrugada desta sexta-feira, 22, um esloveno no mar de Paraty, no litoral sul fluminense, sob acusação de tráfico internacional de drogas. Milan Rataj, de 52 anos, foi detido em flagrante com mais de 50 quilos de cocaína pura a bordo de um veleiro.A droga estava escondida no assoalho da embarcação. Rataj já estava em alto mar, com o objetivo de levar a droga até Cabo Verde, na África, para que fosse distribuída mais tarde pela Europa. [Leia mais...] (webremix.info)


De 15 a 19 de novembro acontece a Feira Internacional de Artesanato no Espaço Cassiano Ricardo

Nesse período os visitantes podem dar um mini volta ao mundo nos artesanatos e na cultura do Equador, Paquistão, Índia, Japão, Senegal, África do Sul, Peru, e alguns estados... (webremix.info)


78% dos brasileiros acreditam que a corrupção aumentou em 2016, diz pesquisa

A ONG Transparência Internacional divulgounesta segunda-feira, 9, uma pesquisa realizada entre maio e junho de 2016, que revela a opinião popular sobre corrupção nos países da América Latina e Caribe. Segundo o relatório, 78% dos brasileiros acreditam que o nível de corrupção aumentou no período de um ano até a data da pesquisa. O Brasil está em quarto lugar dos 20 países participantes, atrás apenas da Venezuela (87%), Chile (80%) e Peru (79%). [Leia mais...] (webremix.info)


78% dos brasileiros acreditam que corrupção cresceu nos últimos 12 meses

O Barômetro Global da Corrupção, da Transparência Internacional, divulgado nesta segunda-feira, 9, referente à América Latina e Caribe - onde foram entrevistadas 22.302 pessoas residentes em 20 países da região - indica que quanto à percepção de corrupção, 78% dos brasileiros afirmaram acreditar que tenha aumentado nos doze meses anteriores à pesquisa. Os dados foram coletados em maio e junho de 2016, quando a Operação Lava Jato estava no seu auge. [Leia mais...] (webremix.info)


ONU alerta para sinais de genocídio na África (webremix.info)


António Guterres alerta para maior êxodo dos últimos 23 anos em África

O secretário-geral da ONU disse, esta sexta-feira, que África vive o maior êxodo desde o genocídio no Ruanda, há 23 anos, e pediu à comunidade internacional que reúna esforços para acabar com o conflito no Sudão do Sul. (webremix.info)


Fórum das Águas será realizado no Inhotim (webremix.info)


Isabel dos Santos nega razões políticas na exclusão de dois canais da SIC em Angola

Canal de informação e a SIC Internacional África já não são transmitidos no país nas operadoras Zap e DStv. (webremix.info)


Prêmio de tecnologia social tem inscrições prorrogadas (webremix.info)


Prêmio de tecnologia social seleciona projetos do Brasil, América Latina e Caribe  (webremix.info)


ONU alerta para o importante trabalho de parteiras na América Latina e Caribe (webremix.info)


ONU alerta para o importante trabalho das parteiras (webremix.info)


Desemprego e informalidade assolam mulheres da América Latina (webremix.info)


Crónica 7 - Gestão da pressão dos pneus condicionou

Campeão Nacional de Todo-o-Terreno em 2016, depois de vários anos a lutar por esse objetivo, o piloto de Portalegre Nuno Matos está apostado em alargar os seus horizontes desportivos já a partir deste ano de 2017. Se em 2010 o piloto partiu para uma aventura internacional que culminou com a conquista da Taça FIA de Bajas T2 a aposta agora chama-se África e Morocco Desert Challenge. Um enorme desafio que Nuno Matos está a fazer aos comandos do seu Opel Mokka Proto tendo a seu lado um outro campeão, Nuno Rodrigues da Silva (webremix.info)


Crónica 5 - A melhor etapa até agora

Campeão Nacional de Todo-o-Terreno em 2016, depois de vários anos a lutar por esse objetivo, o piloto de Portalegre Nuno Matos está apostado em alargar os seus horizontes desportivos já a partir deste ano de 2017. Se em 2010 o piloto partiu para uma aventura internacional que culminou com a conquista da Taça FIA de Bajas T2 a aposta agora chama-se África e Morocco Desert Challenge. Um enorme desafio que Nuno Matos está a fazer aos comandos do seu Opel Mokka Proto tendo a seu lado um outro campeão, Nuno Rodrigues da Silva. (webremix.info)


Keira Knightley retorna como Elizabeth Swann em trailer internacional de Piratas do Caribe - A Vingança de Salazar

Durante meses, surgiram rumores sobre uma possível participação de Keira Knightley em Piratas do ... (webremix.info)


BNDES instaura comissão interna para apurar supostas irregularidades em desembolsos

RIO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) instaurou uma Comissão de Apuração Interna para apurar supostas irregularidades na liberação e ampliação de crédito para exportação de bens e serviços no exterior, informou o banco de fomento na noite de sábado.

bndes_1604

Em delação a investigadores da operação Lava-Jato, o patriarca do grupo Odebrecht, Emílio Odebrecht, afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva influenciou o banco na ampliação de uma linha de financiamento para obras da construtora Odebrecht, em Angola, na África.

A decisão do BNDES de instaurar a apuração foi tomada com base nas informações que constam nas petições do Supremo Tribunal Federal (STF) de relatoria do ministro Edson Fachin.

"As citações de que o BNDES tomou conhecimento até o presente momento referem-se à suposta participação de Luiz Eduardo Melin de Carvalho e Silva e de Álvaro Luiz Vereda Oliveira no processo de aprovação, pelo BNDES, de financiamentos à exportação de bens e serviços de engenharia", disse o banco de fomento em comunicado.

Luiz Melin foi diretor internacional e de comércio exterior do BNDES de janeiro de 2003 a dezembro de 2004 e de abril de 2011 a novembro de 2014, enquanto Luiz Vereda foi assessor da presidência do BNDES de outubro de 2005 a maio de 2006.

Os dois ocuparam cargos de confiança no BNDES e não são funcionários de carreira do banco.

Segundo o BNDES, a decisão de instaurar a Comissão de Apuração foi tomada pela diretoria em reunião ordinária na quarta-feira.

O banco informou que vai buscar cooperação de órgãos como Polícia Federal e Ministério Público Federal para "que eventuais ilícitos administrativos e penais possam ser apurados em conjunto".

"O BNDES vai se empenhar em adotar todas as medidas cabíveis para a proteção da instituição, hoje e no futuro, para que ela não possa ser utilizada para a prática de atos ilícitos. A apuração completa dos fatos é um passo importante nessa direção", informou o banco.

Em março deste a ano, o BNDES retomou dois financiamentos para exportação de serviços de engenharia para dois projetos das construtoras Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão no exterior. O processo de retomada dos desembolsos para a Andrade Gutierrez envolve um contrato de apoio à exportação de serviços de construção de rodovias em Gana, na África. A outra liberação, para a Queiroz Galvão, se refere a um projeto de desenvolvimento agrícola na República Dominicana.

Em maio do ano passado, 25 contratos de apoio à exportação de serviços de engenharia foram suspensos temporariamente pelo BNDES, para serem reavaliados. A maioria dos financiamentos era para empreiteiras investigadas na operação Lava Jato.

(webremix.info)


Brasil ficará para trás na conexão por celular

RIO - O brasileiro adora acessar as redes sociais, mas usar a internet do celular para assistir a vídeos, ouvir música e navegar livremente vai exigir não só disposição, como paciência nos próximos anos. Afetado pela crise econômica, o Brasil vai chegar em 2021 entre as últimas posições na corrida pela maior conectividade móvel. A constatação faz parte de uma pesquisa da Cisco, que revela que, em cinco anos, o usuário brasileiro vai consumir 4.201 megabytes (MB) por mês, número que o coloca à frente apenas de África do Sul e Índia em uma lista de 23 países. Celular_1504

Para se ter uma ideia do abismo digital, a Coreia do Sul, a primeira do ranking, vai chegar em 2021 com consumo médio mensal por usuário de 23.892 MB. No levantamento, o Brasil fica atrás da vizinha Argentina, onde o consumo por pessoa será de 5.721 MB. Segundo especialistas, a crise no Brasil afetou a capacidade de investimento das empresas de telecomunicações e o poder de compra das famílias brasileiras. A qualidade, muito questionada pelos usuários, também aparece na lista como um dos fatores que travam o crescimento.

ALTO GRAU DE EXCLUSÃO DIGITAL

Info - consumo de dados mapaAssim, o país vai avançar menos nos próximos anos em comparação a outras nações. O Brasil, onde o consumo por pessoa hoje é de 878 MB mensal, terá alta de 37%, em média, a cada ano. No México, por exemplo, o avanço chegará a 43%, passando dos atuais 740 MB para 4.507 MB. O mesmo vai ocorrer em diversas nações da Europa, como França, Espanha e Reino Unido.

— Muitos desses países estão em um movimento diferente do Brasil, com a digitalização da economia e a própria internet das coisas, que permite a conexão de carros e outros produtos à internet. O Brasil, por outro lado, tem um grau de exclusão alto. A crise afeta as empresas e a capacidade de pagamento das pessoas, que buscam planos mais baratos — diz Giuseppe Marrara, diretor de Relações Governamentais da Cisco Brasil.

Dessa forma, novas tecnologias vão atrasar. A adoção da rede 4,5G, que permite velocidade maior que a 4G, prevista para 2018, deve ficar para 2020, prevê a Huawei.

— A crise adia muitos investimentos. Há uma relação entre a economia e a tecnologia. Na Europa, por exemplo, uma pessoa faz download, em média, de nove aplicativos por ano. No Brasil, assim como em outros países em desenvolvimento, essa média é de dois aplicativos — destaca Kleber Faccipieri, gerente de Marketing da Huawei.

A atriz Sill Esteves conhece bem a velocidade lenta da internet no celular. Ela já ficou na mão várias vezes:

— Pela minha profissão, sempre preciso baixar vídeos para pesquisar algum personagem, ou para compartilhar nas redes sociais algum vídeo que tenha feito, mas geralmente só consigo fazer isso quando chego em algum lugar que tenha Wi-Fi.

MAIOR PARTE DE PRÉ-PAGOS

Rafael Steinhauser, presidente da Qualcomm para a América Latina, diz que o Brasil está mal na qualidade. Ele lembra que o Brasil tem menos espectro alocado para a telefonia móvel do que recomenda a União Internacional de Telecomunicações (UIT):

— Se juntar tudo que as empresas de telefonia móvel já compraram nos leilões, chega-se a 844 megahertz. A UIT diz que o ideal é de 1.800 a 2.000 megahertz. Temos ainda um longo percurso no Brasil. Com a internet das coisas, será preciso mais rede. Apesar de termos 4G, a maior parte dos usuários é 3G e 2G. Quem mais avança no mundo hoje é a China, onde quase todos os celulares já são 4G.

Mas a rede não é o único fator que explica o baixo volume de conexão móvel no Brasil. Atualmente, diz a Anatel, órgão que regula o setor , 67% dos 243 milhões de linhas são de pré-pagos. E, lembra Steinhauser, a maior parte desse contingente não usa internet o mês inteiro.

— Ter um smartphone não significa acessar a internet, pois é preciso uma linha. Os usuários pré-pagos compram pacotes avulsos, não têm internet o mês inteiro.

Para os especialistas, não faltam desafios conjunturais. O maior deles, citam, são as incertezas em relação à Oi, dona da maior rede de infraestrutura do país e que passa por um processo de recuperação judicial com dívidas de R$ 65 bilhões. Além disso, uma instabilidade operacional afetaria todas as outras teles do país.

— Tem a crise da economia, da Oi. Enquanto isso, o resto do mundo cresce e avança — disse um consultor que não quis se identificar.

Na opinião de Eduardo Conejo, gerente de Inovação da Samsung América Latina, a indústria precisa criar novas tecnologias de forma a impulsionar a demanda por conexão e criar novas formas de acesso à internet. A empresa, em parceria com a Sigfox, vem investindo em soluções dentro de universidades para desenvolver tecnologias:

— Temos de buscar soluções mais baratas. Isso é importante, principalmente quando se fala em cidades inteligentes.

(webremix.info)


Mais de 2 mil imigrantes são resgatados no Mar Mediterrâneo   (webremix.info)


ONU alerta para aumento do risco de morte por fome na África (webremix.info)


Pedras em vez de praia: Semana Santa de protestos na Venezuela (webremix.info)


Antes de show no Rio, Rico Dalasam entrevista Jaloo, e vice-versa (webremix.info)


Henrique Capriles: ‘Hoje não vivemos uma democracia na Venezuela’

CARACAS - Respaldados por grande parte da comunidade internacional, os opositores do presidente Nicolás Maduro estão decididos a permanecer nas ruas para pressionar o governo venezuelano e exigir a “restituição da ordem constitucional”. Liderada, entre outros, pelo governador do estado de Miranda, Henrique Capriles, será realizada uma nova marcha em Caracas na quinta-feira, dois dias depois da última manifestação, violentamente reprimida. Em entrevista ao GLOBO, Capriles afirmou que “a rua não é um fim, é um meio para expressar, para fazer mais ruído dentro e fora da Venezuela”. O ex-candidato presidencial pediu ajuda ao Papa “para o país que está em pior situação na América Latina”, e insistiu em que a única saída possível para a crise venezuelana é eleitoral. “Maduro aposta na derrota moral, em que as pessoas percam a esperança”, assegurou Capriles, que disse sentir-se “decepcionado com as Forças Armadas pela repressão”, mas fez questão de esclarecer que a oposição não está pedindo aos militares que tomem as armas para derrubar o governo. “Não somos golpistas”.

A oposição está pedindo uma reação às Forças Armadas e, em meio às acusações de golpe à Assembleia Nacional (AN), o governo diz que os golpistas são os opositores...

Venezuela

Não acredito em golpes militares, essa não é a solução. Não trabalho nessa linha, não sou golpista. A relação com os militares é complexa, mas meu problema não é com as bases e sim a cúpula corrupta. Estamos muito surpresos com essa cúpula, com os militares que estão respaldando um governo que rompeu a ordem constitucional e nos reprime desta maneira. Sabemos que existe ruído interno entre os militares, mas ninguém tem a intenção de rebelar-se ou de derrubar o governo. Pessoalmente, estou muito surpreso, como podem aceitar o desconhecimento de uma AN escolhida pelo povo? Como podem aceitar que se destrua a República?

O governo ameaçou abrir uma investigação contra o senhor e já existem alguns expedientes administrativos. Teme ser preso?

O ministro que disse que abrirá uma investigação está acusado de vínculos com o narcotráfico. As ameaças do ministro não me interessam. Dizem que nós obstaculizamos o trânsito, mas os que bloquearam toda Caracas foram eles. Nada do que está acontecendo é coincidência. Me acusam de coisas absurdas e o que querem, claramente, é me inabilitar para disputar cargos políticos. É tudo uma grande loucura. Hoje não vivemos uma democracia porque sem voto não existe democracia. Somos o único país do mundo em que você entra no Google e não aparecem as datas de nossas eleições. E, voltando a mim, se me inabilitarem será outro golpe.

O senhor disse que a Venezuela está entrando numa nova etapa. Qual é essa etapa?

A luta nas ruas. A rua não é um fim, é um meio para expressar, para que a maior quantidade de pessoas possa participar, para fazer mais ruído dentro e fora. Na rua, o que pedimos, além da restituição da ordem constitucional, é o fim do autogolpe, o reconhecimento da AN e eleições. Na prática, o governo fechou o Parlamento. Todas as decisões que estão tomando são nulas porque dizem que a AN está em desacato. Tivemos 56 sentenças contra a AN, certamente é um recorde mundial. Como se chama isso? Golpe.

Como será superada essa crise?

No passado, quando precisava legitimar-se, Chávez convocava eleições e as vencia. A solução, como dissemos na Organização de Estamos Americanos (OEA), são as eleições.

O senhor é muito crítico do diálogo. O que pensa do papel do Papa?

O diálogo terminou sendo uma grande fraude, até mesmo para o Papa Francisco. A população ficou muito decepcionada com o diálogo e o fracasso provocou uma queda da imagem positiva da Igreja católica. Nos deixou um sabor amargo. Hoje, eu pediria ajuda ao Papa... a Venezuela está na pior situação no continente.

A Conferência Episcopal da Venezuela (CEV) conclamou à desobediência civil…

Não à desobediência civil. A Igreja foi firme e transparente, não estão falando em anarquia. O que pedem é que defendam a Constituição.

Como avalia o papel do Mercosul e, especificamente, do Brasil?

Falei sábado passado com o chanceler Aloysio Nunes e coincidimos na necessidade de continuarmos todos ativos na comunidade internacional. Temos uma boa relação, e eu tenho uma amizade com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Vejo que todos os países do Mercosul estão defendendo a restituição da ordem constitucional. A única dificuldade que temos é com os países do Caribe, que estão sofrendo uma chantagem por parte de Maduro, não nos apoiam. Mas Maduro está se isolando, e isolar-se fará mais rápida sua saída. A aposta de Maduro é que o preço do barril de petróleo suba, por isso ele não quer eleições. Mas ele está se enganando, não existe projeção de que o valor do barril petróleo volte aos US$ 100. Aqui a queda da popularidade do governo é irreversível. Maduro aposta na derrota moral, que as pessoas percam a esperança, na resignação do povo. Por isso temos de ser mais fortes do que nunca.

(webremix.info)


Parceria para o futuro

No dia 7 de abril, participarei, ao lado do Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, da reunião ministerial dos membros fundadores do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) e dos países que integram a Aliança do Pacífico (Chile, Colômbia, Peru e México). É mais um passo que daremos no resgate dos propósitos originais do Mercosul com vistas a tornar o bloco uma plataforma para a inserção competitiva de nossos países na economia internacional.

Um dos caminhos para alcançar esse objetivo é o estabelecimento de acordos comerciais com outros países ou blocos. O Mercosul e a Aliança do Pacífico representam juntos 80% da população da América Latina e Caribe, respondendo por mais de 90% do PIB e dos fluxos de investimento direto estrangeiro na região. Estamos falando de um mercado de quase 470 milhões de pessoas.

A convergência entre o Mercosul e a Aliança do Pacífico pode significar o nascimento de um novo polo dinâmico da economia mundial. Queremos aproveitar a rede de acordos que já nos unem para dar um salto de qualidade. Possuímos hoje acordos de livre comércio com todos os países sul-americanos da Aliança do Pacífico. Com o Chile, já alcançamos liberalização total do comércio e, com Peru e Colômbia, estamos muito perto disso. Em 2019, graças aos acordos existentes, será concluída uma virtual área de livre comércio na América do Sul.

O Brasil procura, atualmente, completar essa rede de acordos, ampliando seu acordo comercial com o México, a segunda principal economia da América Latina. Com todos os países da Aliança, concluímos acordos de facilitação de investimentos e assinamos ou estamos negociando acordos sobre serviços e compras governamentais.

Em 2016, as exportações do Mercosul para a Aliança do Pacífico alcançaram US$ 17,6 bilhões, valor superior às exportações registradas entre os países da própria Aliança (US$ 14,6 bilhões). O Brasil figura como o principal parceiro comercial na América Latina de Chile, Peru e México e o segundo da Colômbia na região.

A agenda de cooperação entre os dois blocos ambiciona ir além dos acordos comerciais em vigor, buscando simplificar os trâmites de comércio exterior e incentivar parcerias empresariais, com atenção especial às pequenas e médias empresas. Queremos aproveitar também as complementaridades entre as economias e fomentar as cadeias produtivas regionais.

Os vínculos entre Mercosul e Aliança do Pacífico se veem hoje fortalecidos por uma coincidência de visões entre os nossos governos, que compreendem que têm muito a ganhar com a convergência entre os dois blocos.

A situação econômica brasileira e a conjuntura externa oferecem oportunidade que não deve ser desperdiçada para que o Brasil fortaleça a integração com seus vizinhos em busca de um novo ciclo de desenvolvimento nacional. Tenho certeza de que a reunião de Buenos Aires ajudará a impulsionar a integração entre esses dois blocos irmãos, abrindo um novo e auspicioso capítulo na integração latino-americana.

Aloysio Nunes é ministro das Relações Exteriores

(webremix.info)


IIF: dívidas de emergentes saltam para US$ 56 tri e atingem nível preocupante

As dívidas totais de empresas, bancos, famílias e governos de países emergentes, como Brasil, África do Sul, China e Índia, deram um salto "espetacular" nos últimos dez anos, atingindo níveis preocupantes, alerta nesta segunda-feira, 3, o Instituto Internacional de Finanças (IIF), com sede em Washington. Apenas os passivos em dólar destes mercados mais que dobraram na última década, chegando a US$ 7,2 trilhões. [Leia mais...] (webremix.info)


Ação contra Cláudia Cruz aguarda cooperação jurídica internacional

SÃO PAULO - Enquanto o deputado cassado Eduardo Cunha foi condenado pelo juiz Sérgio Moro, em decisão tomada anteontem, o processo contra a jornalista Cláudia Cruz, sua mulher, tramita devagar na Justiça Federal de Curitiba. A ação aguarda cooperação jurídica internacional entre Brasil, Suíça e Singapura — países onde ficavam as contas que, segundo as investigações da Lava-Jato, seriam abastecidas com propina e eram vinculadas aos cartões de crédito utilizados pela jornalista. Ela fez gastos em lojas de grife e bens de luxo no exterior. Cruz é acusada de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Cláudia Cruz

A tese da defesa da jornalista é de que a ré desconhecia a origem dos recursos das contas vinculadas aos seus cartões de crédito. O advogado Pierpaolo Bottini arrolou três testemunhas no exterior. Uma delas é Chiam Shu Xin Cindy, que figurou como secretária da offshore Netherton Investment, de Singapura. Essa empresa foi usada para abrir uma das contas de Cunha em bancos na Suíça.

Também serão ouvidos Patricia Glassey e Carlos Abramowitz. A primeira é gerente do banco Merryl Linch, onde foram mantidas as contas de Cruz e os trusts atribuídos a Cunha. Abramowitz é o assessor financeiro responsável pela revisão dos documentos de abertura de contas.

A audiência deve ocorrer entre os dias 4 e 5 de maio numa corte do país asiático. As perguntas serão encaminhadas pela defesa à Suíça e à Singapura, onde os depoimentos serão tomados, traduzidos e enviados de volta a Curitiba.

Cruz virou ré na Lava-Jato em junho do ano passado. De acordo com os investigadores, há indícios de que parte da propina desviada da Petrobras abasteceu contas no exterior em nome de off-shores e trusts usados para pagar cartões de crédito internacional utilizados por Claudia Cruz.

A Fa(r)tura da Família Cunha

Para a força-tarefa da Lava-Jato, ela tinha plena consciência dos crimes que praticava sendo a única controladora da conta em nome da offshore Köpek, na Suíça, por meio da qual pagou despesas de cartão de crédito no exterior. Entre 2008 e 2014, ela gastou mais de US$ 1 milhão. O gasto, de acordo com a denúncia do MPF, “totalmente incompatível com os salários e o patrimônio lícito” dela e de Cunha. Quase a totalidade do dinheiro depositado na Köpek (99,7%) teve origem em contas pertencentes a Eduardo Cunha.

As investigações apontam que “por meio da mesma conta Köpek a acusada também se favoreceu de parte de valores de uma propina de cerca de US$ 1,5 milhão que seu marido recebeu para 'viabilizar' a aquisição, pela Petrobras, de 50% do bloco 4 de um campo de exploração de petróleo na costa do Benin, na África, em 2011". A defesa de Cláudia Cruz afirmou que não houve ocultação de recursos.

(webremix.info)


Baixa no preço do marfim na China é esperança para elefantes

RIO - O preço do marfim, vendido ilegalmente no mercado chinês, baixou mais de 60%, e a demanda no comércio legal da China também está caindo, segundo estudo publicado nesta quarta-feira pela organização Save the Elephants. Links biodiversidade

Em 2014, o preço mais alto do quilo do marfim bruto vendido na China alcançou US$ 2.100 (cerca de R$ 6580). Hoje, este valor é de US$ 730 (R$ 2280), revelaram Lucy Vigne e Esmond Martin, especialistas no comércio de marfim da Save the Elephants.

"É uma boa notícia, mas a caça furtiva continua", disse Martin em uma coletiva de imprensa em Nairobi.

A China, o principal consumidor mundial de marfim de contrabando, é também apontada como responsável importante pela caça furtiva de elefantes na África na última década.

O continente africano conta somente com 415 mil elefantes, 111 mil a menos do que na década anterior, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). E, a cada ano, mata-se mais 30 mil elefantes.

O marfim é muito buscado na China, onde os objetos talhados são muito apreciados por colecionadores.

A quantidade de marfim disponível nas lojas, autorizadas legalmente a vender na China, e seu preço, também diminuíram, o que reflete uma queda no primeiro mercado mundial do material.

A diminuição do crescimento econômico chinês, a luta contra a corrupação e a tomada de consciência das consequências devastadoras da caça furtiva são as causas principais desta redução, segundo os investigadores.

Até agora, "poucos chineses relacionavam os produtos de marfim com a morte dos elefantes", mas campanhas favoreceram a uma tomada de consciência, observou Iain Douglas-Hamilton, fundador da Save the Elephants.

A China anunciou, no final de dezembro, que a venda e o processamento de objetos em marfim se tornará completamente proibida no final de 2017.

VEJA TAMBÉM

Satélites e até 'Censo dos Elefantes' são usados contra tráfico de marfim

(webremix.info)