Notícia africana e do Cararibe

Notícia : Notícia africana e do Cararibe

Migração de jovens prejudica a agricultura do Malauí

DISTRITO DE CHIRADZULU / BLANTYRE, Malauí, 12 de agosto de 2020 (IPS) – Enquanto as famílias no distrito de Chiradzulu, no sul do Malauí, começam a preparar suas fazendas para a próxima temporada de cultivo de milho, Frederick Yohane, 24, é um jovem ocupado. Todas as manhãs, ele trabalha com seus dois irmãos no campo [...]

The post Migração de jovens prejudica a agricultura do Malauí appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Eletrificação de transportes: um desafio para a América Latina urbanizada

Por Mario Osava, IPS –  RIO DE JANEIRO, 13 de julho de 2020 (IPS) – O transporte elétrico, ainda limitado na América Latina, apesar de seus benefícios urbanos, pode se expandir durante a recuperação econômica pós-pandemia, diz Adalberto Maluf, presidente da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE). Se houver grandes investimentos na necessária reativação da economia, eles devem fazer parte de “uma transição para uma economia verde, em uma agenda para o futuro”, como alguns países europeus já decidiram, disse Maluf, que também é diretor de Brasil da empresa chinesa BYD, maior fabricante mundial de veículos 100% elétricos. “A transição para a mobilidade elétrica movida a energia limpa está começando a gerar um interesse crescente entre os governos e também entre os cidadãos”, observa o relatório “Mobilidade elétrica 2019: status e oportunidades de colaboração regional na América Latina e no Caribe”, divulgado em espanhol em 2 de julho pela ONU Meio Ambiente. Isso se reflete no “surgimento de diferentes grupos da sociedade civil dedicados a esse setor e compostos por entusiastas, adotantes e empreendedores”, segundo o relatório, que aponta para um impulso maior no transporte público nos 20 países estudados. Em uma região que se urbanizou rapidamente, com 80% da população vivendo em áreas urbanas e onde o número de grandes cidades subiu, os veículos elétricos estão melhorando o meio ambiente, o transporte, a qualidade de vida e a saúde coletiva, além de abrir novas possibilidades econômicas e geração de empregos e inovações tecnológicas. O transporte é responsável por 22% das emissões da região de poluentes climáticos de curta duração e 15% dos gases de efeito estufa, de acordo com o relatório do escritório regional da agência, também conhecido como Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). A eletrificação de 100% do transporte urbano impediria 180.117 mortes de 2019 a 2050 na Cidade do México, 207.672 em Buenos Aires e 13.003 em Santiago, eliminando os gases e o material particulado emitido por veículos convencionais, estima o relatório. A eficiência da eletricidade, muito superior à dos combustíveis fósseis nos veículos, oferece uma grande vantagem econômica a médio prazo. O veículo elétrico é mais caro por causa da bateria, que pode custar quase metade do total de um ônibus que pode percorrer 200 quilômetros sem recarregar, disse Iêda de Oliveira, diretora executiva da Eletra, empresa de ônibus elétricos fundada em 1988 em São Bernardo do Campo, perto da metrópole brasileira de São Paulo. A diferença de preço, ela disse à IPS por telefone, é recuperada em poucos anos devido à economia de energia e manutenção, uma vez que os motores elétricos têm menos peças e se desgastam menos. As vantagens econômicas são acentuadas em países que, como o Chile, dependem de petróleo importado e, portanto, sofrem os efeitos de oscilações internacionais de preços e flutuações nas taxas de câmbio. O Chile se destaca na eletrificação de seu transporte urbano. A Rede Metropolitana de Mobilidade de Santiago tinha 386 ônibus elétricos até o final de 2019. Haverá quase 800 até o […]

O post Eletrificação de transportes: um desafio para a América Latina urbanizada apareceu primeiro em Agência Envolverde.

The post Eletrificação de transportes: um desafio para a América Latina urbanizada appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Hora de elevar a ambição pela ação climática

Por IPS –  Amsterdã, Holanda, (IPS) – Nos últimos dias, vimos a decisão compreensível de adiar a conferência sobre mudança climática da ONU – COP26 – que ocorrerá em novembro. Enquanto o mundo sofre com os impactos generalizados da crise do coronavírus, é a decisão certa. O COVID-19 é uma questão global premente que está começando a prejudicar os sistemas de saúde, reduzir a produção econômica e minar os esforços para combater a pobreza e a desigualdade. São desafios que, nos próximos meses, precisarão de esforços conjuntos e colaborativos entre e dentro das nações para serem superados. Mas o que isso significa para um dos desafios mais duradouros e universais que enfrentamos – o das mudanças climáticas? O atraso da COP26 até 2021 não significa que os esforços dos países para cumprir seus compromissos com as mudanças climáticas tenham que ser suspensos. Longe disso. Cumprir o Acordo de Paris promete Assim como o coronavírus, a mudança climática é uma causa significativa de resultados reduzidos para a saúde e a riqueza em todo o mundo. Sabemos que as conseqüências das mudanças climáticas continuam aumentando, impactando desproporcionalmente as comunidades que menos contribuíram para o problema das emissões de carbono, com efeitos devastadores no meio ambiente e na biodiversidade global. Portanto, embora a reunião global da COP26 de formadores de opinião e especialistas em mudanças climáticas não ocorra neste outono na Escócia, não pode haver demora ou recuar a ambição quando se trata de ação climática. De fato, para que os países cumpram as promessas feitas no Acordo de Paris, precisamos de níveis de ambição para crescer. Uma transição verde na recuperação do COVID-19? Mesmo que os países se esforcem para conter e mitigar a crise do COVID-19, não podemos perder isso de vista. É por isso que a ação climática precisa ser mantida na corrente principal das discussões políticas – e até considerar como a fase de recuperação da pandemia, quando ocorre, pode ser implementada de uma maneira que apoie uma transição verde. A Comissão Européia já foi franca, com o vice-presidente executivo Frans Timmermans afirmando em 1º de abril que, quando se trata de lidar com as mudanças climáticas, “não desaceleraremos nosso trabalho, nacional ou internacionalmente”. Essa posição é bem-vinda – e precisamos das eco das outras grandes economias do mundo. Entrada de negócios para a solução Os esforços dos governos para combater as mudanças climáticas precisam incluir um maior envolvimento do setor privado. As empresas têm um grande papel ajudando a reduzir as emissões de carbono e contribuindo para soluções. É por isso que as práticas de negócios sustentáveis ​​precisam estar na frente e no centro dos esforços corporativos para realinhar a maneira como operam, agora e depois da pandemia. De fato, contribuir para a mitigação das mudanças climáticas faz sentido para as empresas, tanto do ponto de vista ambiental quanto econômico. O chamado investimento sustentável está em ascensão há algum tempo – e a atual crise está demonstrando por que os fatores ESG (ambientais, sociais e de governança) são […]

O post Hora de elevar a ambição pela ação climática apareceu primeiro em Agência Envolverde.

The post Hora de elevar a ambição pela ação climática appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


O futuro do jornalismo

Por Andrés Cañizález* – IPS –  CARACAS, 7 de abril de 2020 (IPS) – Em todo o mundo, o jornalismo está atravessando uma era de incertezas. Ainda não está claro qual será o modelo de negócios para o campo de notícias e isso acontece precisamente no momento em que as informações são um problema central na vida de todas as pessoas. A pandemia de coronavírus destacou as duas dimensões. Os cidadãos em confinamento preventivo consomem muito mais notícias sobre as amplas implicações do COVID-19; mas isso, por sua vez, acontece sob uma modalidade não necessariamente lucrativa para o setor de notícias. O cenário de uma recessão global pós-pandemia está provocando temores no campo dos negócios de notícias entre muitos países. O Instituto Reuters para o Estudo do Jornalismo publicou seu relatório sobre o futuro e as principais tendências esperadas neste campo para 2020. Isso foi divulgado antes da disseminação global do coronavírus. No entanto, o documento é muito relevante, pois traça linhas importantes sobre o futuro do jornalismo. Neste artigo, por razões de espaço, estão incluídos os aspectos mais significativos do resumo executivo – apenas a ponta do iceberg. Para os interessados ​​em mais detalhes, recomendo a leitura completa aqui. O estudo é baseado em pesquisas aplicadas a executivos do mundo jornalístico e líderes de projetos digitais na mídia. Foram pesquisadas 233 pessoas em 32 países. Os países incluem Estados Unidos, Austrália, Quênia, África do Sul, México, Argentina e Japão. No entanto, a maioria dos entrevistados vive na Europa: Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Áustria, Polônia, Finlândia, Noruega e Dinamarca. É muito importante não perder de vista esse fato, pois isso implica os pontos de vista das pessoas que vivem em ambientes sem problemas de conectividade, velocidade da Internet ou acesso a smartphones. Abaixo, um olhar mais atento a alguns aspectos interessantes: A maioria dos executivos de mídia afirma estar confiante nas perspectivas de suas empresas; mas eles têm muito menos certeza sobre o futuro do jornalismo. Esse é geralmente o caso de pesquisas: quando as pessoas são questionadas se as condições em seu país pioram, às quais costumam responder afirmativamente, a próxima coisa que dizem – inversamente – é que elas esperam uma situação pessoal melhorada. Uma das questões importantes sobre jornalismo reside na produção de notícias locais. Há temores de perda de credibilidade afetando jornalistas e mídia em geral; e isso pode ser intensificado por ataques ao jornalismo de funcionários públicos. Além disso, pode ser que Donald Trump esteja se transformando em um modelo dessa forma de ataque para líderes populistas de qualquer persuasão ideológica em sua disputa pelo poder. Intimamente relacionado ao exposto, 85% dos entrevistados concordaram que a mídia deveria fazer mais para combater notícias falsas e meias-verdades, ou seja, abordar a desinformação e ficar de olho no fato de que ela pode ser incentivada ou direcionada diretamente dos hubs do poder político. A crise global gerada pelo coronavírus, deixando milhares de vítimas para trás, sem certeza sobre a eficácia das vacinas atualmente em avaliação, tem […]

O post O futuro do jornalismo apareceu primeiro em Agência Envolverde.

The post O futuro do jornalismo appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Eletrificação de transportes: um desafio para a América Latina urbanizada

Por Mario Osava, IPS –  RIO DE JANEIRO, 13 de julho de 2020 (IPS) – O transporte elétrico, ainda limitado na América Latina, apesar de seus benefícios urbanos, pode se expandir durante a recuperação econômica pós-pandemia, diz Adalberto Maluf, presidente da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE). Se houver grandes investimentos na necessária reativação da economia, eles devem fazer parte de “uma transição para uma economia verde, em uma agenda para o futuro”, como alguns países europeus já decidiram, disse Maluf, que também é diretor de Brasil da empresa chinesa BYD, maior fabricante mundial de veículos 100% elétricos. “A transição para a mobilidade elétrica movida a energia limpa está começando a gerar um interesse crescente entre os governos e também entre os cidadãos”, observa o relatório “Mobilidade elétrica 2019: status e oportunidades de colaboração regional na América Latina e no Caribe”, divulgado em espanhol em 2 de julho pela ONU Meio Ambiente. Isso se reflete no “surgimento de diferentes grupos da sociedade civil dedicados a esse setor e compostos por entusiastas, adotantes e empreendedores”, segundo o relatório, que aponta para um impulso maior no transporte público nos 20 países estudados. Em uma região que se urbanizou rapidamente, com 80% da população vivendo em áreas urbanas e onde o número de grandes cidades subiu, os veículos elétricos estão melhorando o meio ambiente, o transporte, a qualidade de vida e a saúde coletiva, além de abrir novas possibilidades econômicas e geração de empregos e inovações tecnológicas. O transporte é responsável por 22% das emissões da região de poluentes climáticos de curta duração e 15% dos gases de efeito estufa, de acordo com o relatório do escritório regional da agência, também conhecido como Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). A eletrificação de 100% do transporte urbano impediria 180.117 mortes de 2019 a 2050 na Cidade do México, 207.672 em Buenos Aires e 13.003 em Santiago, eliminando os gases e o material particulado emitido por veículos convencionais, estima o relatório. A eficiência da eletricidade, muito superior à dos combustíveis fósseis nos veículos, oferece uma grande vantagem econômica a médio prazo. O veículo elétrico é mais caro por causa da bateria, que pode custar quase metade do total de um ônibus que pode percorrer 200 quilômetros sem recarregar, disse Iêda de Oliveira, diretora executiva da Eletra, empresa de ônibus elétricos fundada em 1988 em São Bernardo do Campo, perto da metrópole brasileira de São Paulo. A diferença de preço, ela disse à IPS por telefone, é recuperada em poucos anos devido à economia de energia e manutenção, uma vez que os motores elétricos têm menos peças e se desgastam menos. As vantagens econômicas são acentuadas em países que, como o Chile, dependem de petróleo importado e, portanto, sofrem os efeitos de oscilações internacionais de preços e flutuações nas taxas de câmbio. O Chile se destaca na eletrificação de seu transporte urbano. A Rede Metropolitana de Mobilidade de Santiago tinha 386 ônibus elétricos até o final de 2019. Haverá quase 800 até o […]

O post Eletrificação de transportes: um desafio para a América Latina urbanizada apareceu primeiro em Agência Envolverde.

The post Eletrificação de transportes: um desafio para a América Latina urbanizada appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Futuro pós-pandemia da África precisa incluir jovens na agricultura

Aslihan Arslan, economista sênior da Divisão de Pesquisa e Avaliação de Impacto do IFAD.

Zoumana Bamba, representante nacional do IITA na República Democrática do Congo.

29 de junho de 2020 (IPS) – Avisos, nos estágios iniciais da pandemia de Covid-19, de que a África poderia ser atingida por uma onda de até dez milhões de [...]

The post Futuro pós-pandemia da África precisa incluir jovens na agricultura appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Perdas pós-colheita na Tanzânia tornam-se perdas da agricultura juvenil

DAR ES SALAAM, Tanzânia, 19 de junho de 2020 (IPS) – Ao despedir-se de um grupo de amigas, Esther Ishabakaki pergunta se alguma delas conhece um bom alfaiate que possa estar interessado em ingressar em seu novo negócio de roupas. É um empreendimento que ela iniciou há três meses, depois de deixar seu negócio agrícola.

The post Perdas pós-colheita na Tanzânia tornam-se perdas da agricultura juvenil appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Jovens bolsistas africanos colhem ideias sobre negócios da agricultura

Enquanto obtêm seus mestrados ou doutorados, 80 jovens acadêmicos africanos estão lidando com os negócios da agricultura por meio da inovação e do frescor que acompanham a juventude.

BULAWAYO, Zimbábue, 30 de abril de 2020 (IPS) – Em Ruanda, Benimana Uwera Gilberthe, uma especialista produtora de pimenta, experimenta os desafios de ingressar no agronegócio. Na [...]

The post Jovens bolsistas africanos colhem ideias sobre negócios da agricultura appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Pandemia estabelece os déficits da África, mas os jovens crescerão no futuro

Nteranya Sanginga é diretor-geral do Instituto Internacional de Agricultura Tropical.

IBADAN, Nigéria, 29 de abril de 2020 (IPS) – As fragilidades da África foram brutalmente expostas pela pandemia de coronavírus. O vírus atingiu quase todos os países desse continente de 1,3 bilhão de pessoas e a Organização Mundial de Saúde adverte que poderá haver dez [...]

The post Pandemia estabelece os déficits da África, mas os jovens crescerão no futuro appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Hora de elevar a ambição pela ação climática

Por IPS –  Amsterdã, Holanda, (IPS) – Nos últimos dias, vimos a decisão compreensível de adiar a conferência sobre mudança climática da ONU – COP26 – que ocorrerá em novembro. Enquanto o mundo sofre com os impactos generalizados da crise do coronavírus, é a decisão certa. O COVID-19 é uma questão global premente que está começando a prejudicar os sistemas de saúde, reduzir a produção econômica e minar os esforços para combater a pobreza e a desigualdade. São desafios que, nos próximos meses, precisarão de esforços conjuntos e colaborativos entre e dentro das nações para serem superados. Mas o que isso significa para um dos desafios mais duradouros e universais que enfrentamos – o das mudanças climáticas? O atraso da COP26 até 2021 não significa que os esforços dos países para cumprir seus compromissos com as mudanças climáticas tenham que ser suspensos. Longe disso. Cumprir o Acordo de Paris promete Assim como o coronavírus, a mudança climática é uma causa significativa de resultados reduzidos para a saúde e a riqueza em todo o mundo. Sabemos que as conseqüências das mudanças climáticas continuam aumentando, impactando desproporcionalmente as comunidades que menos contribuíram para o problema das emissões de carbono, com efeitos devastadores no meio ambiente e na biodiversidade global. Portanto, embora a reunião global da COP26 de formadores de opinião e especialistas em mudanças climáticas não ocorra neste outono na Escócia, não pode haver demora ou recuar a ambição quando se trata de ação climática. De fato, para que os países cumpram as promessas feitas no Acordo de Paris, precisamos de níveis de ambição para crescer. Uma transição verde na recuperação do COVID-19? Mesmo que os países se esforcem para conter e mitigar a crise do COVID-19, não podemos perder isso de vista. É por isso que a ação climática precisa ser mantida na corrente principal das discussões políticas – e até considerar como a fase de recuperação da pandemia, quando ocorre, pode ser implementada de uma maneira que apoie uma transição verde. A Comissão Européia já foi franca, com o vice-presidente executivo Frans Timmermans afirmando em 1º de abril que, quando se trata de lidar com as mudanças climáticas, “não desaceleraremos nosso trabalho, nacional ou internacionalmente”. Essa posição é bem-vinda – e precisamos das eco das outras grandes economias do mundo. Entrada de negócios para a solução Os esforços dos governos para combater as mudanças climáticas precisam incluir um maior envolvimento do setor privado. As empresas têm um grande papel ajudando a reduzir as emissões de carbono e contribuindo para soluções. É por isso que as práticas de negócios sustentáveis ​​precisam estar na frente e no centro dos esforços corporativos para realinhar a maneira como operam, agora e depois da pandemia. De fato, contribuir para a mitigação das mudanças climáticas faz sentido para as empresas, tanto do ponto de vista ambiental quanto econômico. O chamado investimento sustentável está em ascensão há algum tempo – e a atual crise está demonstrando por que os fatores ESG (ambientais, sociais e de governança) são […]

O post Hora de elevar a ambição pela ação climática apareceu primeiro em Agência Envolverde.

The post Hora de elevar a ambição pela ação climática appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


O futuro do jornalismo

Por Andrés Cañizález* – IPS –  CARACAS, 7 de abril de 2020 (IPS) – Em todo o mundo, o jornalismo está passando por uma era de incertezas. Ainda não está claro qual será o modelo de negócios para o campo de notícias e isso está acontecendo precisamente no momento em que as informações são um problema central na vida de todas as pessoas. A pandemia de coronavírus destacou as duas dimensões. Os cidadãos em confinamento preventivo consomem muito mais notícias sobre as amplas implicações do COVID-19; mas isso, por sua vez, acontece sob uma modalidade não necessariamente lucrativa para o setor de notícias. O cenário de uma recessão global pós-pandemia está provocando temores no campo dos negócios de notícias entre muitos países. O Instituto Reuters para o Estudo do Jornalismo publicou seu relatório sobre o futuro e as principais tendências esperadas neste campo para 2020. Isso foi divulgado antes da disseminação global do coronavírus. No entanto, o documento é muito relevante, pois traça linhas importantes sobre o futuro do jornalismo. Neste artigo, por razões de espaço, estão incluídos os aspectos mais significativos do resumo executivo – apenas a ponta do iceberg. Para os interessados ​​em mais detalhes, recomendo a leitura completa aqui. O estudo é baseado em pesquisas aplicadas a executivos do mundo jornalístico e líderes de projetos digitais na mídia. Foram pesquisadas 233 pessoas em 32 países. Os países incluem Estados Unidos, Austrália, Quênia, África do Sul, México, Argentina e Japão. No entanto, a maioria dos entrevistados vive na Europa: Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Áustria, Polônia, Finlândia, Noruega e Dinamarca. É muito importante não perder de vista esse fato, pois isso implica os pontos de vista das pessoas que vivem em ambientes sem problemas de conectividade, velocidade da Internet ou acesso a smartphones. Abaixo, um olhar mais atento a alguns aspectos interessantes: A maioria dos executivos de mídia afirma estar confiante nas perspectivas de suas empresas; mas eles têm muito menos certeza sobre o futuro do jornalismo. Esse é geralmente o caso de pesquisas: quando as pessoas são questionadas se as condições em seu país pioram, às quais costumam responder afirmativamente, a próxima coisa que dizem – inversamente – é que elas esperam uma situação pessoal melhorada. Uma das questões importantes sobre jornalismo reside na produção de notícias locais. Há temores de perda de credibilidade afetando jornalistas e mídia em geral; e isso pode ser intensificado por ataques ao jornalismo de funcionários públicos. Além disso, pode ser que Donald Trump esteja se transformando em um modelo dessa forma de ataque para líderes populistas de qualquer persuasão ideológica em sua disputa pelo poder. Intimamente relacionado ao exposto, 85% dos entrevistados concordaram que a mídia deveria fazer mais para combater notícias falsas e meias-verdades, ou seja, abordar a desinformação e ficar de olho no fato de que ela pode ser incentivada ou direcionada diretamente dos hubs do poder político. A crise global gerada pelo coronavírus, deixando milhares de vítimas para trás, sem certeza sobre a eficácia das vacinas atualmente em […]

O post O futuro do jornalismo apareceu primeiro em Agência Envolverde.

The post O futuro do jornalismo appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Criando oportunidades para o empreendedorismo agrícola entre os jovens da África

Com a crescente demanda doméstica e regional por alimentos diversificados e processados, há uma grande oportunidade de desenvolvimento para os negócios agroalimentares na África, bem como a necessidade de se criar oportunidades para fomentar o empreendedorismo agrícola entre as crescentes fileiras de jovens desempregados do continente.

IBADAN, Nigéria, 18 de março de 2020 (IPS) – [...]

The post Criando oportunidades para o empreendedorismo agrícola entre os jovens da África appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Realismo Climático: A opinião pública sobre as mudanças climáticas em 39 países

Pesquisa Market Analysis, divulgação exclusiva Agência Envolverde –  Esta é a segunda parte da pesquisa elaborada pela consultoria Market Analysis, sob a coordenação de Fabián Echegaray e Murilo Urssi sobre a percepção existente em diversas regiões no mundo, inclusive no Brasil, sobre a realidade e impactos das mudanças climáticas. A pesquisa “Realismo climático no Mundo” foi realizada por meio de entrevistas online com 29.870 pessoas em 39 países nos 5 continentes. Homens e mulheres maiores de 18 anos, pertencentes a todas as classes socioeconômicas foram entrevistados durante 2019. Cotas cruzadas de idade, sexo e classe social foram estabelecidas para garantir a representatividade de todos os grupos demográficos na amostra. A primeira parte dessa pesquisa, realizada junto ao público brasileiro, apontou que 93% dos entrevistados acreditam que as mudanças climáticas são realidade e impactam as vidas das pessoas e das políticas públicas. Um dado preocupante dessa nova fase da pesquisa é que 46% dos entrevistados acreditam que já é muito tarde para agir no combate às mudanças climáticas. Outro dado que precisa de uma melhor reflexão é o fato de que os mais pobres estão mais convencidos sobre a urgência de ações contra as mudanças no clima do que as populações mais ricas. Quanto menor a riqueza per capita (associada à educação e segurança material), maior o senso de urgência e conexão dos fenômenos climáticos com suas causas e efeitos. O bem-estar material anestesia a leitura sobre as mudanças climáticas. A primeira parte pode ser lida AQUI.                  

O post Realismo Climático: A opinião pública sobre as mudanças climáticas em 39 países apareceu primeiro em Agência Envolverde.

The post Realismo Climático: A opinião pública sobre as mudanças climáticas em 39 países appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Mulheres em áreas em crise precisam de apoio em saúde sexual e reprodutiva

NAÇÕES UNIDAS, 11 de fevereiro de 2020 (IPS) É necessário focalizar a situação inesquecível de mulheres e meninas que vivem em áreas de conflito e, em particular, apoiá-las com serviços de saúde sexual e reprodutiva, exigidos em um plano de ação humanitário 2020, a agência da ONU para a população.

Atualmente, existem mais de 168 [...]

The post Mulheres em áreas em crise precisam de apoio em saúde sexual e reprodutiva appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


P&R: África deve inovar seus sistemas alimentares para vencer a fome e a pobreza

O cientista e diretor-geral do Instituto Internacional de Agricultura Tropical (IITA), NTERANYA SANGINGA, fala com o correspondente da IPS Busani Bafana sobre como o instituto está alavancando sua pesquisa bem-sucedida para impulsionar um maior investimento em agricultura.

BULAWAYO, Zimbábue, 11 de fevereiro de 2020 (IPS) – A África precisa investir na agricultura, aplicando mais recursos [...]

The post P&R: África deve inovar seus sistemas alimentares para vencer a fome e a pobreza appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Superando a grande divisão de financiamento de gênero na África

NAIROBI, 22 de janeiro de 2020 (IPS) – O que existe entre Soi Cate Chelang e seu sonho de transformar seu pequeno negócio de móveis feitos de paletes em uma grande empresa é o capital. No Quênia, Chelang pode muito bem ser pioneira em fabricar móveis com paletes – plataformas de madeira usadas para empilhar [...]

The post Superando a grande divisão de financiamento de gênero na África appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Pedido que políticos africanos desenvolvam instrumentos legais de combate às mudanças climáticas

MADRI, 6 de dezembro de 2019 (IPS) – Os legisladores africanos foram desafiados a criar estruturas legais para as mudanças climáticas, para permitir que os países evitem catástrofes e emergências que consomem seus orçamentos. “Os países africanos estão gastando até 3,9% de seu PIB em emergências climáticas, que em muitos casos não foram orçadas”, apontou [...]

The post Pedido que políticos africanos desenvolvam instrumentos legais de combate às mudanças climáticas appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Quando as mulheres africanas são financeiramente incluídas, todo um continente ganha

KIGALI, 26 de novembro de 2019 (IPS) – Quando Kristine Ngiriye, empresária nascida em Ruanda e criada no Senegal, tinha 18 anos, teve uma ideia brilhante que queria traduzir em um negócio. No entanto, quando foi ao banco local pedir um empréstimo, disseram que ela se casasse, porque “uma mulher deve casar-se em vez de [...]

The post Quando as mulheres africanas são financeiramente incluídas, todo um continente ganha appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


O futuro da alimentação na África realmente está com os jovens agricultores?

IBADAN, Nigéria, 9 de janeiro de 2020 (IPS) – A África passará fome ou sobreviverá com importações caras de alimentos, porque não está cultivando novos agricultores, mostra uma pesquisa. E o desafio de atrair os jovens africanos para a agricultura permanece entre pesquisadores, formuladores de políticas, e atores do setor público e privado, em um [...]

The post O futuro da alimentação na África realmente está com os jovens agricultores? appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Riqueza mineral da África pode ter que permanecer no solo

BULAWAYO, Zimbábue, 7 de outubro de 2019 (IPS) – Como resultado das mudanças climáticas, a indústria de extração de recursos na África será impactada pelo encalhe de ativos, dizem pesquisadores. “Vários ativos naturais se tornarão inviáveis comercialmente em todo o mundo, como resultado das mudanças climáticas e da incapacidade dos países de explorá-los”, disse Vanessa [...]

The post Riqueza mineral da África pode ter que permanecer no solo appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Banco Africano de Desenvolvimento planeja um continente autossuficiente, integrado e industrializado

JOANESBURGO, África do Sul / BULAWAYO, Zimbábue, 16 de setembro de 2019 (IPS) – Arama Sire Camara, uma vendedora de frutas e legumes da província de Kindia, a cerca de 135 quilômetros de Conakry, capital da Guiné, sente-se mais segura durante a noite graças ao Projeto de Eletrificação Rural, financiado por um investimento de US$ [...]

The post Banco Africano de Desenvolvimento planeja um continente autossuficiente, integrado e industrializado appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Projeto solar planeja tornar a África uma casa de energia renovável

NAÇÕES UNIDAS, 13 de setembro de 2019 (IPS) – Quando o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, lançou a Aliança Solar Internacional, em outubro de 2018, ele aplaudiu a meta de mobilizar cerca de US$ 1 trilhão para a implantação de cerca de mil gigawatts (GW) de energia solar até 2030. “Está [...]

The post Projeto solar planeja tornar a África uma casa de energia renovável appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


A longa luta contra a discriminação da hanseníase

BRASÍLIA, , 15 de julho de 2019 (IPS) –  – Aos 80 anos, Yohei Sasakawa ainda está viajando o mundo para promover soluções para alguns flagelos da humanidade, como a doença de Hansen, guerras e incapacidades, fatores de estigmas e exclusões.

Dialogar com líderes mundiais e com afetados, geralmente pobres, é a sua maneira de mobilizar [...]

The post A longa luta contra a discriminação da hanseníase appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


O diagnóstico precoce é a solução para a hanseníase

BRASÍLIA, 13 de julho de 2019 (IPS) – Em 27 de junho, Faustino Pinto estava em Genebra, Suíça, e falou na Organização das Nações Unidas sobre a luta contra a doença de Hansen e seu estigma, em uma reunião durante a 41ª sessão do Conselho de Direitos Humanos.

Onze dias depois, em Brasília, ele abordou [...]

The post O diagnóstico precoce é a solução para a hanseníase appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Preconceito e discriminação, os males não curados da hanseníase

BRASÍLIA, 11 de julho de 2019 (IPS) – “A equipe da ambulância recusou-se a levar o meu amigo doente para o hospital, porque muito antes ele teve hanseníase”, contou Yohei Sasakawa, presidente da Fundação Nippon, em uma das reuniões durante sua visita ao Brasil, entre 1º e 10 de julho. O amigo estava completamente curado [...]

The post Preconceito e discriminação, os males não curados da hanseníase appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


A batalha de uma vida contra a “doença do silêncio”

Mario Osava entrevista YOHEI SASAKAWA, presidente da Fundação Nippon.

BRASÍLIA, 10 de julho de 2019 (IPS) – Yohei Sasakawa já dedicou metade de seus 80 anos ao enfrentamento da doença de Hansen, a “doença do silêncio”, e continua em batalha, como presidente da Fundação Nippon e embaixador da Boa Vontade pela Eliminação da Hanseníase, da [...]

The post A batalha de uma vida contra a “doença do silêncio” appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Ajuda japonesa para a complexa eliminação da lepra no Brasil

BRASÍLIA, 8 de julho de 2019 (IPS) – Quando no Brasil os casos de hanseníase, mais conhecida como doença de Hansen, aumentam, a falta de assistência de serviços médicos não deve ser responsabilizada, mas sim deve ser reconhecida sua eficiência no diagnóstico das pessoas infectadas, ao contrário do que pode acontecer em outros países.

Essa [...]

The post Ajuda japonesa para a complexa eliminação da lepra no Brasil appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


A Agricultura de Benin teve uma boa temporada, mas não foi fácil

COTONOU, Benin,  30 de Abril de 2019 (IPS) –  Théophile Houssou, um agricultor de milho de Cotonou, passou noites sem dormir, deitado e preocupando-se com os vários desastres que poderiam acontecer com qualquer agricultor, frequentemente pensando: “o que vai acontecer se chover forte e toda minha plantação for levada embora?”, ou “o que aconteceria se [...]

The post A Agricultura de Benin teve uma boa temporada, mas não foi fácil appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Melhorando a vida de milhões de mães e crianças

PEMBA, Zâmbia, 26 de abril de 2019 (IPS) –  São pouco mais de três da tarde em uma quarta-feira quente no distrito de Chipata, Zâmbia Oriental, e um grupo de mulheres chega para uma reunião. Está na hora de Elizabeth Tembo ir na frente de outras mães como ela e compartilhar lições importantes sobre nutrição.

[...]

The post Melhorando a vida de milhões de mães e crianças appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


“Pessoas afetadas pela hanseníase sofrem múltiplas discriminações”

RIO DE JANEIRO,  (IPS) – “Existem mais de 50 países com leis discriminatórias contra as pessoas afetadas pela hanseníase, e há muita discriminação também na administração do Estado e na sociedade”, disse em entrevista à IPS Alice Cruz, relatora especial das Nações Unidas para a eliminação da discriminação contra as pessoas afetadas pela hanseníase e [...]

The post “Pessoas afetadas pela hanseníase sofrem múltiplas discriminações” appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)


Afetados pela hanseníase na América Latina se unem por direitos e voz

RIO DE JANEIRO, 14 de março de 2019 (IPS) – Com a decisão de fundar uma coalizão regional para promover direitos e maior participação em fóruns e decisões nacionais e internacionais, concluiu-se o I Encontro Latino-Americano e Caribenho de Entidades de Pessoas Afetadas pela Hanseníase, popularmente conhecida e estigmatizada como lepra.

A sessão final do [...]

The post Afetados pela hanseníase na América Latina se unem por direitos e voz appeared first on IPS em português.

(ipsnoticias.net)